destaques
Diminui o tamanho do texto Aumenta o tamanho do texto

China será o primeiro país a ultrapassar a barreira de US$ 100 bilhões no comércio com o Brasil

A corrente de comércio entre o Brasil e a China vai superar este ano pela primeira vez a marca de US$ 100 bilhões, cifra jamais registrada na história do comércio exterior brasileiro com um país ou mesmo bloco de países. Em forte aceleração, o comércio sino-brasileiro acumula, de janeiro a setembro, um fluxo de US$ 78,028 bilhões, e o destaque é a robusta e constante alta nas exportações brasileiras para o principal parceiro comercial do País. No período, o Brasil acumulou um superávit de US$ 28,757 bilhões.

Enquanto o comércio com a China bate sucessivos recordes, o intercâmbio com os Estados Unidos, segue na direção oposta e registrou, de janeiro a setembro, o pior desempenho em onze anos. De acordo com dados do “Monitor de Comércio Brasil-Estados Unidos”, divulgado ontem (14) pela Amcham Brasil, as trocas entre os dois países tiveram uma contração de 25,1% em comparação com o mesmo período do ano passado.

Com uma forte queda de 31,5%, as exportações brasileiras somaram US$ 15,2 bilhões, enquanto as vendas americanas, com uma retração de 18,8% totalizaram US$ 18,3 bilhões. Nos nove meses deste ano, a balança comercial proporcionou aos Estados Unidos um superávit de US$ 3,1 bilhões no intercâmbio com o Brasil.

De acordo com o estudo da Amcham,  projeção é de  que as exportações brasileiras fechem o ano com uma queda entre 27% e 30% e as importações contraiam de 20% a 22%, com o déficit para o Brasil podendo oscilar entre US$ 2,4 bilhões e US$ 2,8 bilhões.

Dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia, mostram a crescente relevância da China como maior parceiro comercial do Brasil. Com uma alta de 14,1% e um total de US$ 53,393 bilhões, a China foi o destino final de 34,1% de todo o volume embarcado pelas empresas brasileiras para o exterior, enquanto apenas 9,69% foram comercializados com os Estados Unidos.

Com relação às importações, mesmo com uma queda de 7,5%, a China respondeu por 21,5%  das compras brasileiras no exterior. Os Estados Unidos ficaram com uma fatia de 16% no período.

Em 2019, a corrente de comércio com a China totalizou US$ 98,628 bilhões, com exportações de US$ 63,357 bilhões e importações no total de US$ 35,217 bilhões.  Nas trocas com os Estados Unidos, os números foram mais modestos: US$ 59,806 bilhões, gerados por exportações no montante de US$ 29,716 bilhões e importações no valor de US$ 30,906 bilhões.

Fonte: Comex do Brasil

destaques
destaques
Bolsa Índice Data 
Bovespa -4,25% 28/10
Down Jones -3,43% 28/10
Nasdaq -3,73% 28/10
Merval
(Argentina)
-6,80% 28/10
Shanghai

+0,11%

29/10
DAX 30
(Alemanha)
-0,17%

29/10

 
Moeda Cotação Data
Dolar 5,75 29/10
Euro 6,73 29/10
 
Risco País (CDS) Data
Brasil 218.5 29/10

 

Acesse nossas redes sociais

O Mailclipping Comex é um newsletter que se restringe à coleta e divulgação de notícias sobre comércio exterior. O conteúdo das notícias é de inteira responsabilidade de seus autores. O Mailclipping Comex não se responsabiliza e nem pode ser responsabilizado pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso dessas informações. Se estiver interessado no recebimento das nossas informações cadastre-se aqui. Para enviar críticas, sugestões, releases, contatos comerciais, comentários sobre o serviço ou mesmo exclusão, clique aqui.
©2017 Mailclipping ComEx. Todos os direitos reservados. imprensa@sfiec.org.br