Ceará Global discute potencial de negócios entre empresas cearenses e Macau

26/08/2020 - 12h08

Um debate sobre as oportunidades que Macau traz para o Ceará e as empresas cearenses abriu a programação do Ceará Global nesta quarta-feira (26/8). O painel “Macau: plataforma entre China e países de língua portuguesa” contou com a mediação da secretária executiva da Indústria da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho do Ceará (Sedet), Roseane Medeiros, e a participação do diretor do Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM), Antônio Lei, e do presidente do Sindicato das Indústrias da Alimentação e Rações Balanceadas no Estado do Ceará (Sindialimentos), André Siqueira.

Macau é uma Região Administrativa Especial da China, um Estado autônomo, localizado na costa sul da China, separada de Hong Kong pelo delta do Rio das Pérolas. Ex-colônia portuguesa, Macau tem como idioma oficial o português, além do chinês. A localização, o idioma e outras facilidades oferecidas pelo governo tornam Macau um importante polo de conexão entre os países de língua portuguesa, em especial o Brasil e o Ceará, com a China e seu grande mercado consumidor. Esse potencial vem sendo cada vez mais visto e explorado pelas empresas cearenses a partir do trabalho de aproximação que vem sendo realizado nos últimos anos pelo Governo do Ceará, Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), através do seu Centro Internacional de Negócios, o Sebrae e o Sindialimentos.   

André Siqueira destacou que a partir de articulações feitas por essas entidades foi possível a participação do Ceará em eventos promovidos pelo IPIM, como a Feira Internacional de Macau (MIF) e a Exposição de Produtos e Serviços dos Países de Língua Portuguesa (PLPEX), que geraram diversas oportunidades de negócios e aproximaram os produtos cearenses, especialmente de pequenas empresas, da China. “Exportar põe a empresa à prova. O mercado internacional exige que a empresa faça todo um movimento, que ela melhore seu produto, que ela se qualifique. Isso é muito importante não só para o desenvolvimento da empresa mas para todo o Estado. Eu vejo muitas oportunidades para o Ceará e as nossas empresas nessa aproximação com Macau”, afirmou. 

Antônio Lei, por sua vez, apresentou os diferenciais competitivos de Macau, ressaltando que é hoje uma das áreas mais promissoras para se fazer negócio na China. Segundo ele, é um lugar estratégico para quem quer começar a exportar ou se consolidar no mercado chinês, porque uma vez que o produto esteja adequado ao mercado macaense também terá condições de entrar em território chinês. Além disso, Macau oferece vantagens fiscais e jurídicas para empresas de língua portuguesa.

“Macau tem uma economia livre e aberta, possui um porto franco e zona aduaneira autônoma. O sistema de impostos é simples e o imposto complementar de rendimentos não é superior a 12%, o mais baixo da zona. Esses diferenciais são muito atrativos”, frisou.  

De acordo com o diretor, as oportunidades de negócios podem se potencializar a partir da criação da zona da Grande Baía Guangdong-HongKong-Macau, pois há o plano de construção de um centro mundial de turismo e de lazer, além de uma plataforma de serviços para a cooperação comercial entre a China e os países de língua portuguesa.

Sobre a cooperação com o mundo lusófono, André Siqueira lembrou que além do ambiente físico Macau possui uma plataforma digital que permite que qualquer industrial possa colocar seus produtos em uma vitrine virtual e acesse mercados que não estavam no radar, como Moçambique e Angola, por exemplo.

Outro assunto abordado no painel foi a questão da burocracia e dos impostos no mercado internacional.  Macau é reconhecido pela Organização Mundial do Comércio como um dos melhores ambientes no mundo para comércio e investimentos. A simplicidade do sistema tributário e a ausência de burocracia para investidores são fatores que motivam esse título. Nesse sentido, André Siqueira falou sobre o trabalho realizado pelo Centro Industrial do Ceará (CIC), FIEC e Governo do Ceará para melhorar o ambiente de negócios no Ceará. 

Para assistir ao painel na íntegra, acesse AQUI.

Sobre o Ceará Global
O Ceará Global, principal evento voltado para a internacionalização da economia do estado, acontece entre os dias 25 e 27 de agosto, com o tema: O Futuro em 360º. Em 2020, o evento ganha edição especial e, pela primeira vez, ocorre de forma totalmente online, por meio de plataformas de streaming. Ceará Global é uma iniciativa articulada pela Câmara Setorial de Comércio Exterior e Investimento Estrangeiro (CS COMEX & IE), com a co-realização do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Ceará (Sebrae/CE), Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará (Fecomércio/CE), Câmara Brasil Portugal, Universidade de Fortaleza (Unifor), organização da Prática Eventos e Muvon.

Acompanhe o Sistema FIEC nas redes sociais:

  • CENTRO INTERNACIONAL DE NEGÓCIOS: Facebook
CIN - Centro Internacional de Negócios | CNPJ: 07.264.385/0001-43
Av. Barão de Studart, 1980 - Anexo Térreo - Aldeota - Fortaleza/CE - CEP: 60.120-024