Fortaleza registra crescimento de 107% nas exportações de crustáceos

16/04/2019 - 13h04

Fortaleza é a quarta cidade que mais exporta no Ceará, com um acumulado de US$ 29,6 milhões no primeiro bimestre de 2019, valor 33,1% maior em relação ao ano anterior. O município também possui elevada participação nas importações cearenses. Representando 25,6% das importações do Estado, o montante importado por Fortaleza nos dois primeiros meses do ano cresceu 54,6% em relação ao mesmo período de 2018 e totalizou US$ 91 milhões. O saldo comercial cresceu 67,6%, ainda que o total permaneça deficitário em US$ 61,4 milhões. Os dados são de estudo realizado pelo Centro Internacional de Negócios da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC).

O grupo de vegetais como cocos e castanhas é o mais vendido por Fortaleza, com um total de US$ 10,3 milhões, maior valor do país. Os crustáceos, na 3° posição, acumularam US$ 2,08 milhões, valor 107 vezes superior ao do mesmo período em 2018. O aumento exibido pelos crustáceos é o maior entre os itens exportados. Os principais destinos, no período, foram Estados Unidos, com US$ 7,38 milhões. Portugal, 3° colocado, foi o destino que mais aumentou seu consumo, com total de US$ 2,27 milhões, montante 247% maior em relação ao ano anterior. Além desses dois destaques, outros 59 países foram destinos das exportações fortalezenses.

Para o abastecimento da forte indústria de alimentos, as importações de trigo mantiveram-se aquecidas. As aquisições internacionais de trigo do município totalizaram US$ 32,9 milhões, sendo o maior valor do país. Em seguida, estão os óleos betuminosos, com 28,8 milhões. O valor importado pelos óleos cresceu mais de 1700 vezes, se comparado ao ano anterior. Argentina, grande fornecedora de trigo, é também a maior origem das aquisições de Fortaleza, com US$ 33,6 milhões. Estados Unidos vem em seguida, com US$ 31,3 milhões.

A economia de Fortaleza tem maior parte da sua renda (82% do PIB) provinda do setor de serviços, com o Centro da cidade como forte núcleo comercial, além de grandes shoppings. Vale destacar que a indústria incorpora aproximadamente 17% de tudo o que é produzido pelo município, com os setores de têxtil, calçados, couros e massas como fortes impulsionadores da economia fortalezense. O turismo também se apresenta como forte atrativo de investimentos, além das belíssimas praias, o visitante encontra na cidade bons restaurantes e o humor como ótima alternativa de entretenimento. (IBGE 2015)

Confira o estudo completo AQUI.

Saiba mais

O Centro Internacional de Negócios da FIEC apoia a internacionalização das empresas cearenses e promove ações estratégicas, de capacitação e relações institucionais, com o objetivo de impulsionar as exportações e importações da indústria do Ceará. Faz parte da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), que junto com Serviço Social da Indústria (SESI Ceará), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI Ceará), Instituto Euvaldo Lodi (IEL Ceará) e o Observatório da Indústria formam o Sistema FIEC.

 

 

Acompanhe o Sistema FIEC nas redes sociais:

  • CENTRO INTERNACIONAL DE NEGÓCIOS: Facebook
CIN - Centro Internacional de Negócios | CNPJ: 07.264.385/0001-43
Av. Barão de Studart, 1980 - 3ª andar - Aldeota - Fortaleza/CE - CEP: 60.120-024