destaques
Diminui o tamanho do texto Aumenta o tamanho do texto

USDA traça quadro otimista para o agronegócio brasileiro

Períodos prolongados de depreciação da moeda, baixos custos de energia e taxas de juros, aumento da demanda por matérias-primas para biocombustíveis e flutuações macroeconômicas ajudaram o Brasil a emergir como um dos principais competidores dos EUA nos mercados agrícolas globais, relata reportagem publicada nesta quarta-feira pelo portal norte-americano Feedstuffs, baseada em novo um relatório divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

O Brasil é hoje o terceiro maior exportador mundial de produtos agrícolas, atrás apenas da União Europeia (UE) e dos EUA.

Os autores do relatório do USDA observaram que o valor agregado agrícola brasileiro cresceu em média 3,4% ao ano nas últimas duas décadas, com a produção agrícola dobrando e a produção pecuária avançando. Ao mesmo tempo, o Brasil emergiu como um importante exportador para os mercados internacionais de grãos, oleaginosas e carnes – competindo diretamente com os Estados Unidos.

“As exportações agrícolas do Brasil, incluindo produtos processados, cresceram 12% ao ano desde 2000 e representam 37% das exportações totais do Brasil. Consequentemente, o Brasil é hoje o maior exportador mundial de soja, carne de frango, carne bovina, café, açúcar e suco de laranja”, observou o USDA.

A desvalorização da moeda, em particular, desempenhou um papel importante em sua posição, sugeriu o relatório. “Como as commodities brasileiras exportadas são cotadas em dólares, a desvalorização da moeda local do Brasil, o real, significa que os agricultores brasileiros receberam mais reais para cada dólar de receita de exportação”, justifica o departamento.

Dessa forma, as vendas para exportação se tornaram mais lucrativas, estimulando a expansão das áreas agrícolas e a adoção de técnicas para aumentar a produtividade. O USDA disse que a produção e as exportações agrícolas brasileiras, que devem continuar a florescer na próxima década, podem crescer ainda mais rapidamente com a depreciação acelerada da moeda.

Fonte: Portal DBO

destaques
destaques
Bolsa Índice Data 
Bovespa -4,25% 28/10
Down Jones -3,43% 28/10
Nasdaq -3,73% 28/10
Merval
(Argentina)
-6,80% 28/10
Shanghai

+0,11%

29/10
DAX 30
(Alemanha)
-0,17%

29/10

 
Moeda Cotação Data
Dolar 5,75 29/10
Euro 6,73 29/10
 
Risco País (CDS) Data
Brasil 218.5 29/10

 

Acesse nossas redes sociais

O Mailclipping Comex é um newsletter que se restringe à coleta e divulgação de notícias sobre comércio exterior. O conteúdo das notícias é de inteira responsabilidade de seus autores. O Mailclipping Comex não se responsabiliza e nem pode ser responsabilizado pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso dessas informações. Se estiver interessado no recebimento das nossas informações cadastre-se aqui. Para enviar críticas, sugestões, releases, contatos comerciais, comentários sobre o serviço ou mesmo exclusão, clique aqui.
©2017 Mailclipping ComEx. Todos os direitos reservados. imprensa@sfiec.org.br